Leonardo Barreto

/Leonardo Barreto

O que monitorar em 2017

Quando quase tudo está fora do seu lugar, muitos eventos, até aqueles aparentemente pequenos, ganham força suficiente para causar grandes estragos. No entanto, para fazer uma análise útil sobre o ano que começa, é preciso definir o que é mais importante para orientar a atenção. Ou seja, deve-se estabelecer qual será a narrativa mestre do cenário político em 2017 e as variáveis que devem afetá-la favorável e desfavoravelmente a fim de construir parâmetros de julgamento de risco. A narrativa política atual está estruturada

O efeito pedagógico do Teto

Faltando muito pouco para ser aprovada, a PEC do teto dos gastos tem potencial para impactar profundamente o sistema político brasileiro, com efeitos que vão além do disciplinamento das contas públicas. Há pelo menos dois pontos que devem ser observados. O primeiro e mais importante é a mudança do modus operandi orçamentário. No modelo que ora pretende se aposentar, de forma simplificada, a estimativa de receitas é inflada para abrigar uma quantidade bem maior de demandas do que o orçamento realmente dá conta. Depois,

A eleição e as reformas

O aumento do número de prefeituras sob o comando de políticos do PSDB, bem como o de eleitores governados pelo partido, é o resultado com maior impacto trazido pelas eleições municipais para a política nacional, especialmente sobre as reformas e o processo sucessório em 2018. Os candidatos do PSDB se valeram, sem dúvida, da onda anti-PT, desde o mensalão e a operação Lava Jato, para melhorar seu potencial de eletividade. Identificados como a antítese dos petistas, houve uma vantagem competitiva momentânea,

Governo de uma nota só

A nova narrativa política em vigor no país deve convergir para apenas um ponto: viabilizar as reformas. Este é um governo de uma só aposta e o lançamento recente do programa de concessões ilustra bem a situação dramática na qual se encontra o país: tidos como a tábua de salvação para a economia, os leilões só terão sucesso se o governo recuperar sua credibilidade por meio das medidas que compõem o ajuste fiscal, especialmente o teto de gastos e a reforma