O Blog

Ir além da notícia, contextualizando-a em artigos e ensaios, com a participação de colaboradores qualificados, é o que se propõe o blog. A internet é a babel digital despejando a cada minuto uma quantidade de informações que, por sua magnitude, às vezes mais confunde que esclarece. Nosso objetivo é, mais que dar a informação, pensar a notícia.

Colaboradores

Redes Sociais

O ano do quebra-molas

O ano de 2016 produziu certamente o maior número de epitáfios antes mesmo de seu desaparecimento, como o pior de todos os tempos, atropelado por uma crise econômica sem precedentes. É certo que não faltam razões para tanto desgosto – afinal, a estatística de 12 milhões de desempregados e a falta de perspectiva de melhoras em curto prazo formam uma síntese desalentadora. Mas o saldo positivo, de caráter potencialmente transformador, é o fim da supremacia de uma cultura política que submete há

imposto sindical

Com os dias contados

Mais que o empenho do governo, é a determinação de ampla maioria congressual que dita a urgência na votação da reforma trabalhista: o alvo é o fim do imposto sindical obrigatório. As mobilizações hostis das corporações sindicais, algumas até mesmo físicas, contra parlamentares em vôos e aeroportos, foi o gene de um processo que selou a sentença de morte do imposto. Na última semana, a violência chegou ao ápice com a invasão do Congresso por sindicalistas policiais,

Cara de paisagem

Não obstante a regra que estabelecera pela qual ministros só serão demitidos quando réus, o presidente Michel Temer dá sinais de que gostaria que os investigados pelo STF pedissem para sair. Ao ser fixada, a regra além de dar tempo ao governo, cumpria o saudável zelo pela premissa constitucional de que todos são inocentes até prova em contrário. E delações não são provas, tanto que os inquéritos abertos têm exatamente o objetivo de conferir a veracidade dos

Odebrecht

Entre a transição e o transitório

Avassaladoras, as delações da Odebrecht situam a gestão Temer na tênue fronteira entre os governos de transição e transitório. O primeiro, ao qual se propôs o Presidente da República, levaria o País a correções de rumo, através das reformas, que poderiam justificar-lhe o epíteto de “ponte para o futuro”. O segundo, é o que cumpre tabela – no jargão do futebol o time que entra em campo sem chance de título apenas como coadjuvante do campeonato. Na linguagem

Interesses cruzados

Enquanto combate, nas missas, a reforma da Previdência, a Igreja atua junto ao governo para negociar a questão do aborto, caso o tema vá para o Legislativo. Serve-se da posição do Planalto junto ao Superior Tribunal Federal, pelo encaminhamento da questão do aborto ao Congresso, e estabelecer aí uma moeda de troca. O governo acha que pode ganhar com isso ao expor o conflito entre a esquerda, que votaria em peso pelo aborto, e a Igreja, na